Volte ao SPIN

SPIN01 SPIN02 SPIN03 SPIN04 SPIN05 SPIN06 SPIN07
SPIN08 SPIN09 SPIN10 SPIN11 SPIN12 SPIN13 SPIN14
SPIN15 SPIN16 SPIN17 SPIN18 SPIN19 SPIN20 SPIN21
SPIN22 SPIN23 SPIN24 SPIN25 SPIN26 SPIN27 SPIN28
SPIN29 SPIN30 SPIN31 SPIN32 SPIN33 SPIN34 SPIN35
SPIN36 SPIN37 SPIN38 SPIN39 SPIN40 SPIN41 SPIN42
SPIN43 SPIN44 SPIN45 SPIN46 SPIN47 SPIN48 SPIN49
SPIN50 SPIN51 SPIN52 SPIN53 SPIN54 SPIN55 SPIN56
SPIN57 SPIN58 SPIN59 SPIN60 SPIN61 SPIN62 SPIN63

SPIN64 SPIN65 SPIN66 SPIN67 SPIN68 SPIN69 SPIN70
SPIN71 SPIN72 SPIN73 SPIN74

sábado, 30 de novembro de 2013

Não ao poder regressista escrocrata

Eu sei o perigoso caminho pelo qual no momento atravessa o nosso país e a democracia por causa de um louco ensandecido à frente do Poder Judiciário. Chegamos numa encruzilhada. Estou de férias. Há tanto tenho adiado minhas férias mas sei que a tirei no momento exato: Atento aos sinais. E sei exatamente o que fazer por onde eu for, seja a Portugal ou a uma cidadezinha qualquer do interior mais próxima ou distante, tanto faz. Estou plenamente atento aos sinais. E os sinais são tantos que não dou conta de postar tudo, esta

obra está em processo, uma hora eu encontro um jeito, se bem que não tem jeito: O jeito é o acaso das revelações isso que chamamos de sonhos, se bem que não se tratam de sonhos, pois muitas vejo em estado de vigília mesmo, como ontem, quando deparei-me com um situação que eu vi que era a mesma da revelação de sonho da noite anterior: A Justiça acorrentada por um louco. Vindo da Justiça com uma pesada cruz nas mãos deparei-me em frente ao sonho: Depositei ali a cruz e fotografei. Na revelação vi que comprei um jornal impresso e substitui a imagem pela qual eu mesmo havia produzido diante da obra às 3 raças












Nenhum autoritarismo é bom, nenhuma ditadura é boa, a não ser, talvez, a do poetariado, talvez nem esta, pois que as pessoas tem todo o direito de não serem poetas, nem a ditadura dos médicos, como esta que temos visto nos últimos dias por parte dos médicos brasileiros contra o Programa Mais Médicos, ah, de forma inegável estamos mergulhados neste clima e, o pior de tudo, com o reforço da Suprema Corte, na pessoa de Joaquim Barbosa, que não tem feito outra coisa senão pisado com muito ódio na Justiça. E pasmem, há elite tupiniquim, essa que soube muito bem apropriar-se da palavra "terrorista" para massacrar, torturar, matar na época da ditadura, faz o mesmo só que agora com outra palavra mágica: "Mensaleiro". Estamos num período de caça a inocentes que não cometeram qualquer crime a não ser pertencerem a um partido político, no caso o PT. Não é Genoíno o alvo e sim o PT.

Quando Barbosa, numa escala de importância marcou Genoíno com o número 1, esse gesto não foi à toa, trata-se sim de uma manifestação de loucura de um extremista ensandecido. Hitler também fez isso, marcou "seus presos". Barbosa também marcou "seus presos' que, no momento, estão sob os cuidados daquela turma prá lá de "honesta", refiro-me aos envolvidos no Mensalão do DEM que, como se sabe, tem representantes na Vara de Execuções Penais que, como se sabe, decretaram que, na Papuda, a lei será igual para todos. Isso chega a ser risível quando sabemos que quando do julgamento do "mensalão", a lei não foi igual para todos, a CF foi rasgada, a lei não foi igual para todos em se comparando com casos de corrupção envolvendo os ricos deste pais: José Roberto Arruda, que no momento tem seus homens aplicando a sentença contra os petistas, escapou da Justiça e será candidato a deputado federal. Minha dúvida: Barbosa também?

Tempos de autoritarismo: Ontem na Folha de São Paulo, a jornalista dondoca Eliane Catenhede publicou artigo em que afirma que o autoritarismo de Joaquim Barbosa é um autoritarismo bom, isso não me supreende pq o mesmo jornal disse que a ditadura militar foi uma ditadura boa, para eles uma "ditabranda". Preciso reescrever estes jornais conforme a revelação desta noite, substituir as imagens deles por estas




Spin feliz apesar de tudo: Nenhuma ditadura é branca ou preta ou amarela ou verde ou vermelha.

Nenhum comentário: