Volte ao SPIN

SPIN01 SPIN02 SPIN03 SPIN04 SPIN05 SPIN06 SPIN07
SPIN08 SPIN09 SPIN10 SPIN11 SPIN12 SPIN13 SPIN14
SPIN15 SPIN16 SPIN17 SPIN18 SPIN19 SPIN20 SPIN21
SPIN22 SPIN23 SPIN24 SPIN25 SPIN26 SPIN27 SPIN28
SPIN29 SPIN30 SPIN31 SPIN32 SPIN33 SPIN34 SPIN35
SPIN36 SPIN37 SPIN38 SPIN39 SPIN40 SPIN41 SPIN42
SPIN43 SPIN44 SPIN45 SPIN46 SPIN47 SPIN48 SPIN49
SPIN50 SPIN51 SPIN52 SPIN53 SPIN54 SPIN55 SPIN56
SPIN57 SPIN58 SPIN59 SPIN60 SPIN61 SPIN62 SPIN63

SPIN64 SPIN65 SPIN66 SPIN67 SPIN68 SPIN69 SPIN70
SPIN71 SPIN72 SPIN73 SPIN74

terça-feira, 30 de novembro de 2010

As condenações por tráfico de drogas

Um dado muito triste, com certeza muitos jovens, estudantes e trabalhadores estão presos injustamente, um momento de bobeira ao serem pequenos com pequenas quantidades de alucinógenos, esperamos que se tome pé da situação para que estas pessoas sejam libertadas, Uma coisa temos que ter em mente: o importante desta operação no RJ foi a retomada de um espaço físico até então sob o comando do tráfico,
bem como a apreensão das armas. As drogas, é claro, continuarão sendo comercializadas, até mesmo porrque em tudo quanto é esquina deste país este comércio existe e, como há procura a oferta é inevitável. Inclusive se o traficantes não tivessem desafiado a ordem com aqueles ataques incendiários, se não tivessem usurpado para si o complexo do Alemão, a invasão nem teria ocorrido Como escreveu PHA "Não é sobre drogras, é sobre territórios e armas estúpido!!!

http://www.conversaafiada.com.br/brasil/2010/11/29/nao-e-sobre-drogas-e-sobre-territorio-e-armas-estupido/


Por raq_uel - no Brasilianas.Org 
Contra trevas, luzes. Aí vai:
UnB Agência  DIREITO - 05/08/2009
Comentários
Da UnB
Pesquisa da UnB e da UFRJ revela que maior parte de réus primários foram presos com pouca quantidade de drogas
Kennia Rodrigues - Da Secretaria de Comunicação da UnB
Uma pesquisa da Universidade de Brasília e da Universidade Federal do Rio de Janeiro mostra o quanto a figura do grande traficante no Brasil é deturpada. O estudo, encomendado pelo Ministério da Justiça revelou que a maioria dos condenados por tráfico de drogas no país não são os comandantes do comércio de entorpecentes: a maior parte são réus primários, foram presos sozinhos, com pouca quantidade de drogas e não têm associação direta com o crime organizado.
A pesquisa mapeou 730 sentenças do Distrito Federal e do Rio de Janeiro desde que a lei 11.243, sobre tráfico e porte de entorpecentes, entrou em vigor em maio de 2006. Mais de 40 professores e estudantes realizaram o estudo, e levantaram que 53,9% das condenações nas duas unidades federativas foram aplicadas por quantidades de drogas inferiores a 100 gramas. 14,8% delas referiram-se a quantidades entre 100 gramas e 1 Kilo e não houve nenhuma condenação por mais de 100kg de tráfico.
Leia o texto na íntegra: http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/as-condenacoes-por-trafico-de-drogas


Nenhum comentário: